quarta-feira, 12 de maio de 2004

Parábola

PARÁBOLA


Se eu tivesse um barco a vela
Eu iria navegar
Por sua chama bruxuleante
Me lançar ao mar bravio
Com o vento no pavio
Levando meu barco adiante

Seu eu dormisse um sono
Um sono muito pesado
E tivesse um sonho leve
Um sonho com meu passado
Me livraria desse fardo
E acordaria aliviado

Se eu chorasse de alegria
Então riria da tristeza
Que me fez chorar um dia
Tirando da vida a beleza
E traria de volta o riso
O riso, aquele potente
Que de lágrimas me faz
Me faz sorrir contente

Se eu corresse como o vento
Correndo eu me impeliria
Nas correntes de ar sublimes
Onde nada me prenderia
De logo chegar correndo
Muito antes da ventania

Se eu fosse o amor eterno
Viveria para sempre
Buscando ser o sempiterno
Amor sobrevivente
Que na sua eternidade
Duraria uma vida
Amando, o amor de verdade
Que é chama renascida.

Eudes, 12/05/2004
02:04 hrs

Nenhum comentário:

Business

category2