terça-feira, 15 de junho de 2004

Caminho de Terra

CAMINHO DE TERRA


Saio do asfalto e entro no pequeno caminho de terra
Deixo quem eu sou para trás
Avanço pelo estreito caminho relembrando o passado
Quem eu sou agora está mais a frente
Piso no chão de pés descalços, ando devagar

O caminho, o pequeno caminho de terra me leva
Eu agora não sei mais aonde vou
Estreito, longínquo, uma vereda sem fim
Não posso mais voltar
O caminho de terra surge cada vez mais

Desacostumado que estou, meus pés se machucam
Mas a dor é pequena, sou quem eu sou
A curva adiante parece nunca chegar, caminho de terra
Me acostumo com o novo lugar
Meio caminho andado, meio tempo passado
Vejo que há alguém adiante

O caminho de terra se estende, caminhos dentro de caminhos
Passo por você e toco seu braço
O caminho parece infinito e, sim, talvez seja
Você passa a trilhar o mesmo caminho
Mas sendo longo o caminhar passo a recitar

O poema do caminho de terra
Você sabe um poema, um poema antigo
Não paro mais para pensar, nem descansar
Sua poesia é mais do que posso merecer
O caminho agora é apenas o que tenho a percorrer

Na sua cantiga você fala de um caminho e estou nele com você
Então não paro mais de deixar minhas pegadas
Você me conta ao ouvido o segredo da distância
O caminho e a poesia agora são um só
Sei agora, eu sou a terra e você meu caminho.

Nenhum comentário:

Business

category2