quarta-feira, 21 de julho de 2004

Formas de Amar

FORMAS DE AMAR

No silêncio, no meu emudecido calar
No riso, na alegria descomedida
Nas lágrimas, nem sempre de tristeza
No olhar, que compreende e é compreendido

Na etérea realidade, que não se deixa enganar
Na paixão, que se mantém acesa
Nos trechos daquela música, que tornou-se nossa
No cheiro do teu perfume, que tomou meu ar

No beijo, incomum e demorado
No abraço, que parece interminável
Na loucura, que me deixa são
Na poesia que escrevo a todo instante

As formas de te amar são tantas,
Incontáveis,
Não há poesia que as enumere
Mas talvez eu consiga... espere.

Nenhum comentário:

Business

category2