terça-feira, 22 de novembro de 2005

Ilha e Mar

ILHA E MAR

Tiro tua roupa, peça por peça
Sentindo teu respirar
Nua, te quero nua, não me impeça
De todo teu corpo tocar

Deitado, vejo teus seios arfar
Toco um mamilo, de forma carinhosa
E começo a te beijar
Boca, lábios língua, toda sedosa

Sugo você, num beijo devasso
Sinto tua língua na minha
Vou te beijando sem cansaço
Sinto em você uma energia que não definha

Me delicio em teus rígidos seios
A boca tomando-os completamente
A língua tocando teus mamilos, em devaneios
Meus lábios sentindo tua firmeza enrijescente

Eu, já, muito rígido estou
Tocando teu corpo de forma indecente
Mas ainda sorver você, muito eu vou
Descendo abaixo, ao sul, onde é tão mais quente

Minha língua desliza por seu ventre abaixo
E chega em você, que suspira tremendo
Me perco em você, o seu centro eu acho
E começo a sorver, de você vou bebendo

Minha língua, meus dedos, tudo ao mesmo tempo
Penetram, encontram, onde te estremece
Então toco com a língua, para que a contento
Você sinta tal gozo, que a nós desvanece

Mas não paro, não cesso, pois te quero inteira
E assim minha língua em você continua
Deslizando e entrando, de toda maneira
Saboreando teu ser, que aqui está nua

Então logo nos damos e você vem comigo
Me segura, bem firme, com sua mão tão macia
Sente quanto estou teso, que falar não consigo
Tua mão me alisa, com toda tua magia

Quando me abocanhas, quase não acredito
Quente, úmida, tua boca, quase me enlouquece
Acaricias cada parte, com tuas mãos e repito
Tua boca, tão úmida, quente, me apetece

Nos queremos bem mais, e me quero em você
Assim, se posicionas, como a engatinhar
Então, seguro tua cintura, como pode bem ver
E com carinho penetro, e não quero parar

Você me envolve, me engole, me tens
Me deixando suado, te querendo bem mais
Te entrando, indo e vindo, te sentindo também
Sussurros, gemidos, que são notas musicais

Não paramos, não deixamos, só queremos chegar
Nesse ritmo que estamos, ávidos pela vida
E ao chegarmos ao clímax, sim, a gozar
Nos deitamos, cansados, energias caídas

Então te olho nos olhos, esses teus olhos profundos
Que me agarram e me fazem, de repente, pensar
Que te quero, quero mais que tudo no mundo
Pois eu sou tua ilha, e você é meu mar.

Nenhum comentário:

Business

category2