sábado, 3 de novembro de 2012

Sob a Redoma


SOB A REDOMA - STEPHEN KING
Como uma cidade pequena deteriora quando isolada

Image and video hosting by TinyPic

Sob a Redoma é o primeiro livro de Stephen King que leio desde muito tempo. O último foi uma coletânea de contos que ganhei do meu irmão, há uns cinco anos. E, novamente, esse novo romance do mestre do terror, tem a ver com meu irmão. A capa é a mesma da edição norte-americana, que foi produzida pela agência Platinum FMD, empresa onde ele trabalha. Ele participou como supervisor de CGI. Neste link aqui, temos um passo a passo de como a capa foi feita.

Sobre o livro, primeiro temos que nos desligar da primeira imagem que ele evoca: o longa-metragem animado dos Simpsons, onde Springfield se vê isolada debaixo de uma redoma. Stephen King teve a idéia para o livro em 1976 e não seguiu em frente devido às complicações que imaginar o que aconteceria ao clima debaixo de uma redoma, gerava. Segundo o próprio autor, por preguiça mesmo.

Temos também, o fato que descobrimos logo no início de que não se trata realmente de uma redoma. É um campo de força, invisível, que cerca com perfeição a cidadezinha de Chester's Mill, que tem a forma de uma meia, no mapa. Usa-se redoma para que seja mais fácil vizualizar a coisa toda. O campo de força é curvo, se fechando depois de alguns milhares de metros e está enterrado no chão por milhares de metros abaixo, impossibilitando sair da cidade cavando.

O livro não é terror, o estilo mais conhecido do autor. Está mais para um suspense, onde ficamos sem saber porque a redoma existe, qual o propósito dela e quando ela deixará de existir, se é que deixará de existir algum dia. O terror está lá, mas não na forma de algo sobrenatural - afinal a redoma, apesar de invisível é bem sólida e impenetrável - mas, na forma do ser humano, daquele que se aproveita de situações como essa. Mais exatamente na forma de um político corrupto, que se esconde atrás de uma fachada religiosa.

Apesar das suas 950 páginas, o livro não se demora para começar a ação. A redoma já cai logo no primeiro capítulo, provocando uma série de acidentes extraordinários. Provoca também a prisão na cidade do ex-tenente do excército Dale Bárbara. Saindo da cidade devido a problemas com o filho do tal político corrupto, Dale Bárbara se vê aprisionado, junto com as milhares de pessoas da pequena cidade do Maine (onde se passam a maioria das história de King), Chester's Mill.

Vivendo como um simples cozinheiro, Barbie - como é chamado por todos - agora está no centro do problema que atingiu a cidade. Quando todos se dão conta do que aconteceu, é que Big Jim Rennie, segundo vereador e vendedor de carros, decide que ele é que foi designado por Deus para tomar conta da cidade, do seu jeito, é claro.

Em pouco tempo o vereador domina a polícia local e começa a usá-la a seu bel-prazer. Apesar de existirem mais dois vereadores é Rennie quem tem o poder, usando-os como bodes expiatórios, caso alguma coisa não saia do jeito que planejou. Nem mesmo quando Dale Bárbara é reintegrado ao exército e elevando a comandante e líder da cidade, pelo próprio presidente, nem mesmo assim Big Jim Rennie desiste. Na verdade, isso só lhe dá mais determinação.

Para piorar as coisas, mesmo pouco antes da redoma cair sobre a cidade, alguns acontecimentos drásticos tiveram a participação de Junior, filho de Big Jim Rennie, sem que este nem ficasse sabendo. No entanto, no devido tempo, até mesmo disso, o vereador saberá tirar vantagem. Nada o detém.

Pouco a pouco a cidade vai entrando em um estado de calamidade ao qual os moradores não fazem idéia de que possa estar sendo provocado não só pela redoma, mas por pessoas que elas conhecem e confiam. O interesse no poder e no domínio da cidade faz com que os problemas dentro da redoma se acelerem. Dois lados começam a se tornar evidente: os que apóiam Dale Bárbara e os que apóiam Big Jim Rennie que, no caso, é a maior parte da cidade, graças a seu poder de persuasão.

Os muitos personagens do livro (muitos mesmo) viverão momentos de muita tensão, sendo que nossos heróis, Barbie e os que consegue arregimentar para sua causa, terão de não apenas descobrir o que é a redoma e tentar destruí-la, mas lutar contra Big Jim Rennie e todos que o apóiam. Sem contar que um número crescente de mortes misteriosas tornam as coisas mais difíceis.

Em Sob a Redoma, Stephen King nos traz uma história tensa, mas ao mesmo tempo divertida. A narrativa é feita do ponto de vista dos personagens, mas não em primeira pessoa. King se torna o personagem. Se é um político corrupto a narrativa é como ele vê o mundo, se é um garoto skatista, a mesma coisa, inclusive usando os termos que os skatistas usam. E se é uma marmota, bom, teremos o ponto de vista de uma marmota.

A certa altura do livro King insere o leitor - isso mesmo você - na trama, fazendo com que a pessoa realmente se sinta parte daquilo tudo, por um ou dois minutos. Sob a redoma só vem mostrar como Stephen King ainda está em forma e ainda consegue prender o leitor, mesmo que para isso tenha que o colocar sob uma redoma.

Nenhum comentário:

Business

category2