quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Comic-Con Episode IV: A Fan's Hope


COMIC-CON EPISODE IV: A FAN'S HOPE - 2011
Direção de Morgan Spurlock

Image and video hosting by TinyPic
Torrent e Legenda, Aqui


Acho que esse documentário me fez crescer como pessoa. Me fez enxergar certas coisas de modo diferente. Afinal, o modo como as pessoas que não são nerds vêem uma reunião como a San Diego Comic-Con é o modo como eu via as pessoas em suas paixões "estranhas" por futebol, Carnaval, e outras coisas que só entende quem gosta, quem participa. Me fez entendê-las.

Uma pessoa que veja o documentário, em seus primeiro minutos, e não esteja familiarizada com o mundo nerd, vai logo taxar aquelas pessoas como loucas que não tem mais o que fazer. E, acho que foi assim que assisti. Me coloquei no lugar de alguém que não era um nerd, vendo aquilo com os olhos de quem nunca pegou em uma história em quadrinhos e não sabe o que é viver num mundo de fantasia, por alguns momentos do dia.

Comic-Con Episode IV: A Fan's Hope (não é uma sequência, apenas uma referência a Star Wars) é dirigido por Morgan Spurlock, do excelennte documentário sobre fast food, Supersized Me. Também é produzido por ninguém menos que Stan Lee, que dispensa apresentações e pelo criador de Buffy e diretor de Os Vingadores, Joss Whedon. O filme acompanha uma das edições desta que se tornou a mais lendária das Comic-Cons, a de San Diego.

Acompanhamos vários "personagens" pelos dias em que ela é realizada: aspirantes a desenhistas de HQs; uma moça e seu grupo que produzem fantasias para cosplay, além de usá-las; um vendedor de quadrinhos; um casal de namorados que se conheceram na edição anterior, colecionadores de action figures e etc. Isso sem falar nos muitos convidados como Kevin Smith, Grant Morrison, Paul Dini, o próprio Stan Lee, o criador de Walking Dead, Robert Kirkman, Frank Miller, e muitos outros.

O modo como o documentário é editado faz com que pareça que estejamos vendo um filme em que há ação, suspense, romance e terror. Bom, o terror fica por conta das muitas pessoas bizarras que povoam o lugar.

Acompanhamos dois desenhistas que mostram seus trabalhos aos profissionais da área e podemos ver uma pessoas (duas, na verdade) perseguindo o sonho de muitos leitores de histórias em quadrinhos, que é um dia estar trabalhando com aquilo que cresceu lendo. Ao pular para o grupo de cosplay, é surpreendente ver o que pessoas fazem quando amam algo e se dedicam (e moram num país de primeiro mundo). Já o vendedor de quadrinhos, dono da Mile High Comics, além de ter seu stand no evento, tenta vender uma HQ rara, por 950.000 dólares. E, uma namorada terá uma surpresa ao ser pedida em casamento durante as perguntas feitas a Kevin Smith.

Talvez um dos momentos mais emocionantes do documentário - para mim - é quando um menino vai pegar o autógrafo de Stan Lee. Tudo bem, ele está diante das câmeras, e é o produtor, então poderia se esperar que ele apenas atuasse. Mas, é mais que isso. O pequeno e rápido diálogo que se dá, mostra o quando ele sabe que são os fãs a quem ele deve tudo. Quando está em meio a um grupo de vários deles, um dos garotos diz:

- Você é demais, Stan. - e ele responde.

- Eu concordo, e admiro o seu bom gosto.

Neil Gaiman (que não aparece no documentário) pode ser o pop star dos quadrinhos, mas Stan Lee sempre será o showman. Estava vendo a hora que ele ia começar a fazer um número de sapateado. E isso tudo nos poucos minutos em que ele aparece na tela, já que o documentário é sobre San Diego Comic-Con e não sobre ele.

Alguns entrevistados reclamam que o evento quase deixou de ser sobre quadrinhos, dando tanta atenção aos filmes, videogames e etc. Mas, acho que, ao crescer tanto, isso se tonaria inevitável. É um evento sobre a cultura pop em si, sendo os quadrinhos um desses aspectos. Mudar o nome nesta altura do campeonato não faria sentido.

O documentário foi uma boa maneira de "estar" neste evento que, provavelmente, nunca verei de perto. Assim, pude "andar" por lá e conhecer mais desse universo nerd do qual faço parte desde que me conheço por alien.

P.S.: Coloquei o torrent e a legenda em caráter extraordinário, já que não estou colocando filmes pra baixar.


3 comentários:

cris disse...

o nome do diretor é morgan spurlock. não?
=D

Nano Falcão disse...

Até na história real dá pra você prever coisas que vão acontecer, eheh. Logo de cara já percebi que um dos candidatos a desenhista ia se dar bem, e que o outro não iria. Não só pelo que vi do seu estilo, mas enquanto um foi lá numa editora menor, e saiu com um trabalho, o outro foi logo na dark horse. Ninguém começa trabalhando com as grandes. E rejeição na Comic-Con não quer dizer nada. O próprio depoimento do frank Miller dizendo que o neal adams disse pra ele parar de desenhar comprova isso. O Kirkman podia ter dito que só se divulgou publicando inicialmente seu próprio gibi (ou vai ver disse, e isso foi cortado na edição).

Gilberto Queiroz disse...

Demais, Eudes! Estou baixando e inquieto para ver logo. Desde já muito obrigado! Abração!

Business

category2