sábado, 18 de maio de 2013

Classics Illustrated 04


CLASSICS ILLUSTRATED #04 - GRANDES ESPERANÇAS
Onde nos encontramos com Charles Dickens

Image and video hosting by TinyPic
Para baixar, clique aqui


Charles Dickens escreveu Grandes Esperanças da mesma maneira que produziu a maioria de seus trabalhos: em capítulos, para uma revista semanal. Adiantado apenas um capítulo em relação aos prazos dados pelo editor, o romancista pôde ver a obra quase que totalmente impressa logo que terminou de escrevê-la.

O livro é um dos mais profundos e fiéis retratos da dura realidade da Inglaterra vitoriana, do ponto de vista dos pobres. Numa época em que os trabalhadores sobreviviam à beira da miséria e sob constante ameaça de prisão por dívidas pendentes, as diferenças entre classe média os pobres perfaziam um verdadeiro abismo.

O destino do poderoso Império Britânico era determinado por meia dúzia de milionários insensíveis. Dickens, sem discursar abertamente, usou sua escrita para reinvidicar mudanças sociais.

O mundo de Grandes Esperanças é povoado por personagens genialmente caricaturizados, retratados sob uma luz nova e questionadora. Atavés de Pip, o protagonista, o autor apresenta a ambivalência do tradicional combate entre o bem e o mal.: Pip não é apenas um jovem de bom caráter que sevê jogado na adversidade para depois acabar bem. É uma complicada mistura de bem e mal.

A bondade eventualmente triunfa, à medida que Pip desvincula riqueza material da espiritual: ele toma consciência de seu poder para moldar seu próprio destino e se dá conta de que a virtude não está na aparência das coisas, mas no mérito interior.

Num nível mais simples, Grandes Esperanças é um emocionante perfil da adolescência, capturando tanto os deslumbramentos como as frustrações de um garoto que se torna homem e descobre as múltiplas oportunidades que a vida apresenta. A cena final desta adaptação se baseia na combinação de dois textos: o original (uma passagem sombria, mas compatível com as lições de moral do livro) e um segundo, menos melancólico, que Dickens escreveu a fim de se tornar mais palatável a seus leitores. (Fonte: a própria edição).


3 comentários:

Gilbert King disse...

Muito Obrigado, Eudes Honorato, por mais este grande post.
Tenho certeza que tal como estes grandes escritores, cuja a grande fama veio muito tempo depois, seu trabalho ainda vai ser muito reconhecido.

Eudes Honorato disse...

rsrsrssrsrsrsrs Obrigado pela consideração, Gilbert.

Anônimo disse...

Faço minha as palavras de Gilbert King. Os scans do site me ajudaram a retomar o hábito de ler quadrinhos e a financiar o mercado. E que continue o bom trabalho!

Business

category2