terça-feira, 21 de junho de 2016

Anomalisa

ANOMALISA - 2016
HDRip/AVI/Legendado/Widescreen/90 Min./1.30 GB

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI
Links Alt.: Filme e Legenda

Depois que assisti a este filme, fui marcá-lo no Filmow e aproveitei para ler os comentários. A maioria era positiva. Mas, alguns criticavam que a quantidade grande de comentários postivos se dava apenas por ser um filme de um diretor/roteirista modinha. Que as pessoas queriam pagar de intelectuais, ou algo assim.

No meu caso, só descobri quem era o diretor/roteirista quando so créditos finais subiram. Eu não sabia nada sobre esse filme, apenas o fato de ser uma animação. O diretor/roteirista em questão é Charlie Kaufman que virou estrela depois de Quero Ser John Malkovich. Um filme completamente louco em que pessoas como Cameron Diaz, entravam na cabeça de Malkovich e passavam um tempo sendo ele. 

Eu gostei do filme. É surrealista. Não procurei entendê-lo ou decifrá-lo, apenas curti e viagem de ácido. Foi dirigido por outro louco, Spike Jonze. Que, aliás, dirigiu o próximo dele que assisti: Adaptação. Nicolas Cage faz o papel do próprio Kaufman, que tem uma irmão gêmeo (apenas no filme) e assim começa um exercício de metalinguagem e eu adoro metalinguagem. 

Depois veio Confissões de Uma Mente Perigosa, dirigido por George Clooney. Talvez o filme mais "normal" do roteirista que eu vi até agora. É baseado no livro de um apresentador de programas americano, e ele é (ou era) uma espécie de Silvio Santos por lá. O Show de Calouros era claramente baseado num de seus programas, o Gong Show. E, além de trabalhar na TV, o cara foi contactado pela CIA e se tornou um agente da mesma. Segundo ele mesmo conta. 

Daí veio Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças. Confesso que eu não dei a mínima. Não assisti até pelo menos 3 anos atrás. E, quando vi, não entendi muito bem por que de tanto hype em cima do filme. Acho que não é ruim, apenas não me conectei com a história de forma alguma. 

Sua primeira investida na direção foi em Sinedóque, Nova York. Esse foi o primeiro dele que eu realmente detestei. A história era tão chata, mas tão chata que eu vi pouco mais de 20 minutos de filme. Se melhora depois, não me importa. Não tinha mais saco praquilo. Pensei que era o fim da era de ouro de Kaufman. Até que assisti Anomalisa sem saber que ele estava envolvido. 

Anomalisa começa parecendo bem monótono. Mas, logo entendi porquê. É um drama em animação que fala de fatos da vida que levamos e a vida que levamos pode ser bem monótona. Também fala do que quebra essa monotonia e de como podemos supervalorizar isso por sermos problemáticos e carentes. 

Confesso que quase desisti no começo. O início mostra o enfadonho Michael Stone que, em seu campo, paletras motivacionais é um papa. Ele chega em Connecticut para uma palestra. Casado e com um filho, quando está lá, sozinho, entrar em contato com um antigo amor de antes de seu casamento. Estranhamente, todas as mulheres têm voz de homem. Nos créditos descubro que é o mesmo ator que dubla todos os personagenms homens e mulheres, menos Stone e... Anomalisa. 

Stone é um frustrado na vida emocional, apesar do sucesso na carreira. Não está satisfeito com o casamento e com a vida monótona que leva. Depois da tentativa mal-sucedida de contatar um antigo amor a quem ele abandonou sem maiores explicações, ele se vê novamente "sozinho". 

Então ele conhece duas amigas que vão assistir a palestra e estão hospedadas no mesmo hotel que ele. Saem para beber e, quando vão se retirar, ele pede a Lisa, a mais tímida das duas que o acompanhe em uma saideira em seu quarto. Lisa é a única personagem que tem voz de mulher (Jennifer Jason Leigh, de Os Oito Odiados). 

Lisa é tímida, "gordinha", com ela mesma se define, e tem uma cicatriz no lado da cabeça que esconde com o cabelo. Em suma, ela se acha a menos provável para uma noite de romance com um cara famoso. Mas, Stone está simplesmente encantado por ela.

A noite que passam no quarto é repleta de cenas singelas, como quando ele a pede para cantar e ela, depois de muita insistênca, cantar Girls Just Wanna Have Fun, de Cindy Lauper, de uma forma que faz qualquer pessoa sensível chorar.  Sa voz parece ser o diferencial. Ou talvez o fato de Lisa não ser uma pessoa fútil que, em sua insegurança, mostra-se totalmente sincera. Dizer mais do que isso, seria estragar a diversão ou... reflexão. 

Fora tudo isso, temos um fato que já vale Anomalisa por si só: é uma animação em stop motion das mais incríveis que já vi, com, talvez, a primeira cena de sexo totalmente em stop motion,ao menos, que eu saiba. E que cena singela. 

Bom, vou parar por aqui e quem quiser é só baixar e curtir.





3 comentários:

Ali Coyoti disse...

Esta discussão sobre o que é intelectual ou não é muito chata. Muitas vezes o único refúgio é a idiossincrasia para defender porque gostamos de um filme. E viva a empolgação da descoberta, é ela quem nos anima. Ainda não vi Anomalisa, mas Adaptação eu guardo no peito, e por motivos idiossincráticos, ahah. Obrigado pela indicação.

Luiz Santiago disse...

Mais um motivo para ver

Sylvio de Alencar. disse...

Parabéns, um filme de respeito...

Business

category2