sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Marvel 2057

REUNIÃO DE CÚPULA - MARVEL 2057
Um fan-fic de Gabriel Ténisson



O politicamente correto é uma arma e, como toda arma, nas mãos erradas ela pode ser usada para prejudicar em vez de ajudar. Uma das mídias que tem sido alvo desse politicamente correto, principalmente pelos SJW, os Social Justice Warriors (algo como Guerreiros da Justiça Social), são os quadrinhos. Veem machismo em tudo, querem cada vez mais representatividade, nem que para isso personagens tenham que ser remoldelados a seus gostos. Gostos esses que a indústria de quadrinhos vem cada vez mais aceitando, para não ser hostilizada. Vamos ver o que nosso amigo Ténisson vislumbrou de um futuro sob essas cisrcunstâncias.


REUNIÃO DE CÚPULA DA MARVEL, ANO 2057 

Do lado de fora do prédio, demonstrando ódio fofo, uma multidão de militantes protesta contra a falta de diversidade nas HQs da Casa de ideias. 

Stan Lee, com a consciência armazenada num computador, reassume o cargo de editor chefe após a máquina ser iniciada. 

Stan Lee: Mas o que está acontecendo? Eu criei personagens cegos, nerds, negros, usei analogias para lutar contra o preconceito racial nos anos 60. Sempre apoiei a diversidade numa época em que ninguém ganhava likes por isso. Por que têm cartazes lá fora me chamando de fascista? 

Desenhista: os tempos mudaram, mestre Lee. Precisamos de mais pluraridade, mesmo que elimine toda a nossa cronologia. Pretendo reformular os Vingadores ainda hoje com o Brian Michael Bendis Neto. 

Stan Lee: Mas, nós tínhamos um Homem Aranha gay, negro e latino. O Estrela Polar casou com seu namorado numa edição histórica. Na morte de Hércules, inclusive, deixamos claro que ele era bissexual e teve um caso com estrela Polar. Xavier é cadeirante. Pantera Negra e Ororo governam a nação mais avançada do planeta. O que fizemos de errado, qual motivo para tanta fúria? 

Desenhista: Ah, senhor. As posições acrobáticas são irrealistas demais e acabaram ofendendo os leitores com problema de lordose que não se sentiam representados. 

Stan Lee: Meu Deus, não quero nem imaginar o que fizeram com o Justiceiro! 

Desenhista: Hoje Frank Castle é um pacifista que combate o crime organizado reabilitando mafiosos com aulas de artesanato e capoeira. Pensamos em colocá-lo como um hacker, mas lembramos que a Oráculo da DC foi censurada. Conhecimentos de informática e hacking podem ser interpretados como apologia ao roubo de nudes no computador alheio. Hoje, Barbara Gordon é uma personagem que escreve textões no Facebook, pedindo mais amor e mais empatia pelas pessoas insanas do Asilo Arkham. 

Stan Lee: Mas, por que essa geração é tão sensível? 

Desenhista: Em 2005, Houve um vazamento numa fábrica de alimentos infantis, senhor. Lençóis freáticos e rios que abasteciam as metrópoles foram contaminados com altos índices de papinha de bebê. Isso gerou a síndrome do mimimi, uma doença que faz o paciente acreditar que a órbita terrestre gira em torno do seu umbigo. 

Stan Lee: parece ser grave... o que podemos fazer para aliviar essa doença? 

Desenhista: Recriar todo o universo Marvel numa saga. Depois faremos o reboot e daremos um nome novo, o selo MMM Stan Lee: MMM? 

Desenhista: Melhore, Marvel, melhore. 

Stan Lee: O que houve com o Hulk, Homem Aranha, Capitão América? 

Desenhista: morreram nas Guerras Héteras. A nova equipe de Vingadores é composta por Transhulk, Capitão Cuba, Feminista de ferro, Aranha Vegana e Wolverinx. Ah, também vamos substituir o Thor por Alá. 

Stan Lee: Mas a gente não pode desenhá-lo! Desenhista: pode sim. A proibição é contra desenhar Maomé. 

Stan Lee: Coloque o Dr. Estranho na equipe. 

Desenhista: Olha, usar o adjetivo "estranho" para designar uma pessoa é extremamente ofensivo nessa época. Podemos rebatizá-lo de Dr. Diferentão. 

Stan Lee: E quanto aos X-Men e o Quarteto Fantástico? O que fizeram com eles? 

Desenhista: Para não ofender pessoas de outros gêneros, os x-men passaram a se chamar X-mxn. Stan Lee: como diabos se pronuncia isso? Desenhista: usando o dialeto do Mussum. 

Stan Lee: E o Quarteto? 

Desenhista: O Quarteto se tornou uma família adepta do poliamor, formada por Sue, Reed Richards e Namor, que adotaram um garoto que sofre de combustão espontânea. Ah, também adotaram uma Pedra. Stan Lee: uma pedra? 

Desenhista: A pele rochosa do Coisa causou mal estar em pessoas que sofrem de dermatite crônica. Hoje ele é apenas uma pedra com um sorriso desenhado. 

Stan Lee: Tipo a bola Wilson do Tom Hanks? 

Desenhista: Exatamente. 

Stan Lee: Qual será o Plot da nova primeira edição de Vingadores? 

Desenhista: Galactus, o desconstrutor de Mundos, invade a Terra e mata todo mundo que assiste a FOX News. Os Vingadores tentam intervir, mas acabam sendo desconstruídos também. 

Stan Lee: Podemos colocá-los para lutar contra o Dr. Destino na segunda edição. 

Desenhista: Olha, Dr. Destino governa a Latvéria, uma nação oprimida pelo Ocidente. Pelo Novo Comic Code of defecation rules, os Vingadores não podem revidar. A violência do Dr. Destino é reação do oprimido, portanto, justificável. 

Stan Lee: E quanto ao Thanos? 

Desenhista: Thanos está disposto a destruir o universo para agradar a Morte. É assédio sexual; as jóias do infinito não podem ficar na mão de um machista. 

Stan Lee: Mandarim? 

Desenhista: Mandarim é asiático. Vilões que se encaixam em minorias estão permanentemente proibidos. Se o senhor quiser, transformo o Mandarim num branco católico conservador. 

Stan Lee: Ainda existe liberdade criativa? 

Desenhista: Claro, senhor. Ela só precisa passar pela Comissão Federal de Empatia. Depois é enviada ao Supremo Conselho dos Cidadãos Ofendidos. Se for aprovado, aí podemos publicar. 

Stan Lee: Pelo menos a instituição Vingadores ainda existe, né? 

Desenhista (coçando a cabeça): Olha, pra ser honesto, a palavra "Vingadores" é muito pesada, sugere vingança, como se o grupo apoiasse "bandido Bom é bandido morto". Nós não queremos ser confundido com a DC que republica o fascista e censurado The Authority. 

Stan Lee: E qual será o novo nome? 

Desenhista: Os Problematizadores.


**********


O foi publicado pelo Ténisson em seu perfil do Facebook, gerando polêmica, claro. Ele teve até mesmo que explicar a piada, neste outro post  do Facebook. 


24 comentários:

Anônimo disse...

uau!

Alexandre Arackawa disse...

Seria engraçado se não estivesse tão perto da verdade...
=.(

Sergio Silva disse...

O mundo hoje e desta forma. O pomiticamente correto está tirando o prazer e alegria de viver. Está muito chato.

Eudes Honorato disse...

Comentários-merda não serão aprovados. Assim, mandar 3 textões sendo babaquinha em vez de fazer uma critica séria, serão deletados. Vai apenas perder seu precioso tempo.

Edson Tayrone disse...

infelizmente a marvel estar indo no mesmo caminho da dc, falta de criatividade, historias e personagens bizarros e sem graça. muito do mesmo, depois da morte de alguns desenhistas ótimos, tudo tende a piorar.

Daniel de Marins disse...

Eu achei engraçado, sei lá, são outros tempos... vamos ver...

Anônimo disse...

Parei de comprar essa porcaria politicamente correta.

Nano Falcão disse...

Recomendo o livro FAHRENHEIT 451 do Ray Bradbury. Ele previa décadas atrás tudo que está acontecendo hoje. Aproveitem bem os seus livros, porque eles estão bem perto de serem proibidos e mandarem-nos queimar, como no livro. :P

luiz cláudio disse...

Alan moore já tinha ''previsto'' isso
http://2.bp.blogspot.com/-SSjrcXqyGaU/VSW-tM_GdhI/AAAAAAAADqE/5YLlawS6yp4/s1600/5-miracleman-16-1440-page-291.jpg

Anônimo disse...

A postagem na qual ele comenta a fanfic foi melhor do que a própria.
Os exemplos dados com os personagens citados por ele citado, além do próprio caso do Stan Lee, são a razão que eu realmente de eu ler Hq's enquanto eu tiver vida e condições para tal.
Não leiam só a fic, leiam a outra postagem também.

loba loira disse...

Logo, numa banca próxima de você.

raimundo disse...

Me sinto como guardião deste blog,consequentemente do seu autor.sem autonomia alguma.sem respaldo algum.se alguém exigir de mais eu cobro,digo não.mas fiquei estupefato quando meu mestre falou;comentários-merda.Quem vencerá:Xavier ou Magneto?

Querco disse...

"Politicamente correto" é um tremo vazio que não quer dizer nada, e pode rotular tudo. Muitas das lutas por representatividade tem razão de ser. Mas quem não quer pensar sobre isso joga tudo que há nesse limbo e, passe de mágica, problema resolvido...racismo, machismo e outras mazelas sociais não precisam ser debatidos no mundo da cultura pop. Isso se chama negligência intelectual.

Anônimo disse...

A linguagem dos quadrinhos, das narrativas gráficas, possui um potencial inclusivo e representativo enorme. A inclusão de temas do mundo real na ficção é, não somente necessário, como saudável. É pena constatar, em alguns casos, que tanto a fanfic, quanto a reflexão que o autor dela fez, são apropriadas como espécie de ferramenta para "acusar" o Outro. Continuamos vendo mais o cisco no olho de nossos irmãos do que a viga no nosso. (Mt,1-5).
É como já se disse: em nosso mundo falta amor e interpretação de texto.

Eudes Honorato disse...

A melhor parte de seu comentário, Anônimo, é sobre a "falta de interpteração de texto", já que é algo que se aplica a quem diz isso, tb.

Eudes Honorato disse...

Querco, só pq é uma ideologia, um movimento social, não quer dizer que não possa ser criticado, intocado. Não é algo sagrado e é passível de erros e exageros.

Anônimo disse...

"A melhor parte de seu comentário, Anônimo, é sobre a "falta de interpteração de texto", já que é algo que se aplica a quem diz isso, tb."
Caro Eudes,
É como disse: continuamos a ver mais o cisco no olho de nossos irmãos, do que no nosso. Infelizmente...

Eudes Honorato disse...

Entendi, criticar é falta de amor. Acredito mais em ações do que em meras palavras. Vc teria que me conhecer muito para saber se tenho falta de amor, ou se o autor tem falta de amor, mas, não conhece o suficiente. Apenas se ofende com algo que não passa de uma critica me forma de humor.

Anônimo disse...

Caro Eudes, há uma falha de comunicação aqui entre nós. Não me ofendi com a fanfic, nem sugeri que lhe falta amor, ou que este falta ao autor da fanfic. Falei que, em alguns casos, houve quem usasse essa fanfic ou o comentário que o autor fez sobre ela como ferramenta de acusação contra o "Outro" e que fazer isso, sim, a meu ver, é sinal de falta de amor e de interpretação de texto, independente de qualquer coisa. É não ver o cisco no próprio olho. Tal como o Autor da fanfic disse no comentário que fez, também sempre fui favorável a diversidade na ficção. E desde já lhe digo: torço pelo time do Prof. X, apesar de compreender algumas ações do Magneto :-)

Paulo Eduardo Borborema disse...

Genial isso aí, HUAHUAHUAHUAHUA!!

É impressão minha ou tem gente se sentindo ofendido aqui?
Será que não percebem a crítica mordaz e contundente do autor do texto por trás do deboche e da comicidade escancaradas?
Poupem-me.

Eudes Honorato disse...

Sim, Paulo, tem gente se ofendendo. Alguns comentáerios eu nem aprovei, pq era flood com opiniões do tipo "eu não acredito em nada disso que to falando, mas vou dizer só pra gerar atenção pra mim".

Acabou que devo ter apagado comentarios válidos, e não consegui dizer isso ao comentarista pelo Facebook. Mas, sim, estão se ofendendo ou estão tomando dores que não são suas. Algo assim.

Mesmo povo que detesta o Porta dos Fundos, mas está lá religiosamente pra dizer que eles foram longe demais em algum video.

Juliana disse...

Apreciei imensamente a crítica. Stan Lee, a meu ver, sempre foi um cara que tentou ser bem aberto a diálogos e a entender a diversidade. Acredito que nos nossos tempos necessitamos de tolerância e compreensão, da parte de todos para com todos, até mesmo de quem é considerado oprimido em relação ao seu opressor.
Achei o texto um pouco ácido, vai cutucar o orgulho de muitos de nós aqui.
Devemos refletir em torno dele e de qualquer crítica e manter a calma na hora de opinar. Não adianta ficar com raiva, pessoal. A raiva não vai mudar as pessoas nem seu modo de enxergar o mundo.

Iolando Valente disse...

Realmente,o mundo dos quadrinhos está ficando tão ou mias chato que o mundo real.Aquele do qual conseguíamos escapar(ainda que por algumas horas)através das Hqs,Filmes e Livros.

matheus capucho disse...

Que saudade que a pessoa podia ser machista, racista e homofóbica sem ser chamada de machista, racista e homofóbica não é?

Business

category2