segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Conexão HQ: Sans de Quadrinhos

CONEXÃO HQ: SCANS DE QUADRINHOS
Eles pediram e eu falei um pouco sobre o assunto para o vídeo




Desde os primórdios até hoje em dia... os scans são como mamilos: polêmicos. O primeiro site que do qual eu baixei scans, e que me inspirou, o Toca do Carcaju, foi também o primeiro alvo que conheci de uma caça ás bruxas, que naquele tempo, nem eram tantas. Tanto que fechou as portas com pouco tempo de vida. Mas, ao menos, serviu para um propósito maior, a ampla divulgação dos scans por parte do Rapadura Açucarad e todos os que vieram em seguida. 

O site de quadrinhos digitais Estúdios UCM Comics, através do seu programa Conexão HQ, nos traz uma luz sobre a mais recente polêmica dos scans e nos mostra tudo sobre o compartilhamento de quadrinhos digitalizados. 

Se você concorda ou não com a distribuição gratuita de quadrinhos ou não, isso não muda o fato de que eles fizeram com que muitas pessoas que, por um motivo ou outro, tinham parado de ler, voltassem. E, em alguns casos, até mesmo que começassem a ler, devido à disponibilidade na rede. 

Ainda hoje recebo e-mails de pessoas que agradecem ao RA por terem, de alguma forma,trazido-as de volta aos quadrinhos. Em outro casos, vejo pessoas comprando a HQ física porque a leram digitalizada e não se contentam apenas com o arquivo digital. 

Obviamente disponibilizar obras de autores independentes, que usam o Catarse ou outro tipo de crowndfunding é prejudicial para o artista que não faz pate de uma grande editora, e deve ser usado aí um critério. Mas, o compartilhamento de material de grandes editoras parece apenas atiçar ainda mais o desejo de compra. Senão, como explicar ainda a insistencia em sagas que ocupam 300 revistas e que continuam sendo compradas? 

Bom, seja como for, os scans são acima de tudo, um incentivo à leitura, que já é, por si só, uma recompensa que, assim como ouro, vale mais do que dinheiro!

12 comentários:

ucmcomics disse...

Valeu, Eudes. Sua participação em nosso vídeo foi bastante esclarecedor e importante. Nós do Estúdio UCMComics agradecemos mais uma vez. Abraço.

Thiago Messias Soares disse...

Concordo plenamente. Muito do material que conheci aqui no blog eu postumamente acabei adquirindo. O maior exemplo é o Lobo Solitário, que comecei a ler em scan, fiquei completamente alucinado e acabei decidindo comprar as edições que estão sendo lançadas atualmente. Já conhecia o material, mas conseguir ler em scan foi decisivo pra me fazer comprar. Sem dúvidas sem essa referência jamais compraria mangá algum. Muito obrigado ao Eudes e a todas as pessoas envolvidas em scans, VOCÊS SEM DÚVIDA AJUDAM O MERCADO. Também concordo com a questão dos produtores independentes, eles merecem um tratamento especial com relação a scans, apesar de muitos deles saberem oferecer alternativas viáveis ao seu público.

daniel disse...

concordo
sempre comprei quadrinhos fisicos e tambem baixo na internet
isso nunca diminuiu o meu prazer de ler HQ de papel

XUGISMUNDO disse...

Ola, gostaria de dar uma opinião...
Acho que os scans são excenciais para a divulgação dos quadrinhos para os futuros leitores destes gibis, que de outra forma não teriam condições de adquirir.
Uma das facetas mais interessantes dos scans é a recuperação de quadrinhos antigos que quase ninguém tem acesso e assim preservar de forma digital uma parte da história desta nona arte.
deixo meus links de meus blogs, que acredito eu esta conseguindo recuperar muitas raridades que várias pessoas estão lendo pela primeira vez.

www.quadrinhosbrazukas.blogspot.com

onde disponibilizo quadrinhos de autores nacionais, para provar que brasileiros tambem tem muita qualidade...

www.projetografipar.blogspot.com

onde estou recuperando a totalidade de gibis publicados por esta antiga e maravilhosa editora.

espero que tenham anotado meu comentário e um abraço para vocês;....

Dayvison Fabian dayvisonfabian disse...

Primeiramente, excelente matéria a do vídeo.
O assunto é realmente complicado, porque envolve propriedade intelectual e direitos licenciados. Mas, a meu ver, não passa de uma falácia essa conversa de que scans prejudicam o mercado de HQ. Entendo que é exatamente o contrário, ou, quando muito, é um fato neutro.

Eu mesmo, como colecionador, nunca deixei de comprar os exemplares de que gosto, mesmo tendo-os em formato cbr. Enquanto outros exemplares, eu jamais os compraria por diversas razões, seja porque não me interessam, ou por questões de espaço e até mesmo financeiras.

Devo ter em torno de 5 mil arquivos digitais de HQs em meu computador. Desnecessário dizer que isso, ao menos para mim, seria impensável ter em exemplares físicos. Não tenho espaço, não teria tempo de manter a organização e limpeza e, claro, não estaria disposto a gastar tanto dinheiro só para montar uma coleção assim, ainda que as encontrasse em sebos pelo menor preço do mercado (ainda assim seria muito dispendioso).

Portanto, para certos nichos do universo HQ, eu não sou um comprador, nem em potencial, independentemente da existência ou não dos scans.

Aproveitando a oportunidade, quero aqui agradecer ao Eudes e sua equipe, e a todos os escaneadores e restauradores que nos prestigiam com seu trabalho incansável. Basta ver a qualidade dos material postado aqui no Rapadura Açucarada para entender da paixão por esse fantástico hobby.

Muito grato a vocês, amigos. Um grande abraço!

Anônimo disse...

http://getcomics.info/other-comics/the-twilight-zone-vol-1-3-tpb-2014-2015/

hugo disse...

Muito bom!!

Falando em documentários sobre HQs no Brasil, por um acaso vc não conseguiria o “HQ-Edição Especial” da HBO pra galera não Eudes ? Procurei em todo lugar e não achei.

Grande abraço e obrigado pelo que vc faz.

Anônimo disse...

Concordo! Eu tinha parado de ler quadrinhos, estava bem desmotivado com o material que estava sendo lançado nas bancas, mas os scans me fizeram voltar a ler HQs. Hoje baixo muito scan, compro muito quadrinho (muito mesmo), assisto às adaptações no cinema e TV e tenho até assinatura no Social Comics. Se eu tinha um pé atrás com esta questão dos direitos autorais, eu vejo a resposta pro meu dilema ético em mim mesmo.

Anônimo disse...

"isso não muda o fato de que eles fizeram com que muitas pessoas que, por um motivo ou outro, tinham parado de ler, voltassem."

Exatamente o que aconteceu comigo!!

Daniel Moratori disse...

Eu voltei a ler por conta dos scans. Isso reacendeu meu interesse nos quadrinhos.

Leandro 2112 disse...

Te juro que lacrimejei ao falar do FARRA.

anilibus servile disse...

Bom demais. Parabéns à resistência. Até mesmo Neil Gaiman concorda com o argumento de que não passa de um empréstimo. É triste mas compreensível que a Panini haja assim. Por mais que eles não entendam como algo legítimo, pelo menos os leitores entendem melhor o motivo pelo qual o movimento de scans se justifica: seja por quadrinhos históricos e que já se encontram em domínio público; seja por estarem o olho da cara; seja por fazer décadas desde o lançamento e nada em terras tupiniquins. Parabéns sempre pelo trabalho duro.

Business

category2