quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

O Senso Crítico

QUEM NÃO TEM SENSO CRÍTICO BOM SUJEITO NÃO É


O presidente Jair Bolsonaro já disse certa vez que "ninguém quer saber de aluno com senso crítico". Para ele, as pessoas, principalmente as de baixa renda, precisam apenas de uma escola técnica, sem se preocupar com essa coisa comunista chamada "senso crítico". 

Já o Ministro da Educação disse que as universidade não são para todos, apenas para "uma elite intelectual". Ou seja, se é para correr o risco de que se aprenda senso crítico, que sejam poucos, e de preferência que sejam aqueles da elite, que pouco valor são a esse tal senso crítico. 

Essa falta de senso crítico parece ser a marca deste governo, pois em seu quadro de ministros temos olavetes - como o ministro da educação e o de relações exteriores - e fundamentalistas religiosas, como Damares Alves. A falta do senso crítico não permitiu aos primeiros notar que Olavo de Carvalho é uma farsa e à segunda não conseguir separar política de fanatismo religioso. 

A falta de senso crítico é sempre bem vida em governos que viés totalitário, pois ele prega a obediência e a a obediência não tem senso crítico, a pessoa apenas obedece, e segue acreditando e defendendo aquilo que o governo que odeia senso crítico manda. 

Aqueles sem senso crítico geralmente costumam mandar quem os contesta estudar, como se eles ao menos entendessem o que isso implica. É apenas uma frase vazia - "vai estudar" - quem usam como escudo para sua inata ignorância, já que o máximo que leem é o Guia do Politicamente Incorreto, achando que estão lendo algo profundo e embasado. 

Os ignorantes leem livros revisionistas, de teorias de conspiração ou os de Olavo de Carvalho e se sentem iluminados pela sabedoria vinda desses luminares do saber. E, quando confrontados com o conhecimento acadêmico, se fecham em suas conchas de ignorância e dizem, com aquele ar lamuriento: "vão estudar".

Com a falta de senso crítico que vem sendo cultivada com muito carinho nesses anos em que Bolsonaro e Olavo de Carvalho se uniram para uma nova era do Brasil, vimos crescer absurdamente a quantidade de pessoas que abrem canais no YouTube para vociferar que a Terra é plana entre outras idiotices que, graças à falta de um mínimo de inteligência, têm sido levadas a sério por outras pessoas tão perdidas quando elas.

A falta do senso crítico, no entanto, como cresceu alucinadamente passou a ser visto como algo bom, que faz parte desta nova geração de idiotas úteis, pois os únicos questionamentos que eles fazem, é justamente questionar aquilo que os faria acordar. Dormir o sono dos imbecis, para eles, é o melhor dos sonos. Acordar para a  verdade seria doloroso demais. Enxergar que são enganados continuamente tiraria dos mesmos a única coisa que ainda os faz querer viver: a mentira reconfortante. 

O que importa se a verdade vem de um velho caquético que diz que cigarro faz bem, ou de um imbecil que se diz músico, mas só abre a boca para despejar dejetos que seus seguidores aparam como o água no meio do deserto. 

A verdade é o que menos importa. A verdade fabricada por quem ri de suas caras, por acreditarem tão facilmente, é mais bonita e aceitável. Feito este serviço da quebra do senso crítico, basta apenas dizer em quem eles devem votar, em que notícias eles devem acreditar, e de quem eles devem lamber os sacos e a quem eles devem odiar. São crianças que soltaram a mão dos pais no supermercado e seguraram a mão do primeiro iletrado que viram, e seguiram com ele. 

A falta de senso crítico tornou essas pessoas como ovelhas, como gado. Mas, o pior de tudo é que, lá no fundo de suas almas perdidas, elas sabem a verdade, pois ela os assombra dia e noite, vinda de um senso crítico que insiste em emergir, tentando desesperadamente chegar à superfície, sendo afogado logo em seguida, pelo medo e o desespero de encontrar o impactante mundo real. Mas, algumas vezes, ele consegue chegar a superfície e respirar novamente, nessas horas essa pessoa descobre que um aluno com senso crítico importa sim, e muito. 




O Estrangeiro

O ESTRANGEIRO - ALBERT CAMUS/JACQUES FERRANDEZ 
Digitalização e Tratamento da HQ: Outsider, The Z/HORDA Inc.

PARA BAIXAR A HQ e o LIVRO, CLIQUE MEDIAFIRE

Meursault é um trabalhador calmo e reservado, sem grandes ambições ou desejos. Quando perde a mãe ele é levado a cometer um ato irreparável, sob a influência do sol ardente e ofuscante da Argélia. É com total indiferença, então, que ele assiste a seu julgamento inexorável. 

Publicado em 1942, O Estrangeiro fascinou milhões de leitores pelo mundo, ao propor uma reflexão contundente sobre o absurdo da condição humana e questionar a máquina impiedosa da justiça social. Passados mais de setenta anos depois, a obra-prima de Albert Camus está mais atual do que nunca. 

Não poderia haver artista melhor do que Jacques Ferrandez para adaptá-la aos quadrinhos. Conterrâneo de Camus, Ferrandez é considerado um especialista incontestável na Argélia colonial, e viveu por muitos anos na mesma rua que o autor.

A luminosidade de suas aquarelas e a riqueza de seus cenários demonstram, de fato, que se trata de um profundo conhecedor da obra de Camus e de sua ambientação, capaz de reconstruir a narrativa com força e fidelidade e de dar conta de sua dimensão simbólica, sem suavizar seus mistérios. (Texto da contracapa da HQ).    


            

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

BHM: Demolidor - Vol. 01

BIBLIOTECA HISTÓRICA MARVEL: DEMOLIDOR - VOLUME 01
Digitalização e Tratamento: Outsider, The Z/HORDA Inc.

PARA BAIXAR, CLIQUE MEDIAFIRE

AVISO: Este é único exemplar que será postado, pois não tenho os outros, nem pretendo adquiri-los. 

Demolidor foi criado em 1964 por Stan Lee e Bill Everett. O garoto que salva um senhor de ser atropelado e, no processo, é cegado por um isótopo radioativo que ganhar sentidos mais apurados se tornou mais um na galeria dos super-heróis que Lee vinha criando para o ressurgimento da Editora Marvel. 

O heróis teve suas primeiras aventuras desenhadas por Bill Everett, o co-criador, Joe Orlando e Wally Wood. Nestas primeiras histórias já temos a introdução de Foggy Nelson, Karen Page, o Coruja, e outros vilões. Demolidor enfrenta até mesmo Namor, o Príncipe Submarino, outra criação de Bill Everett. 

O Homem Sem Medo fez uma bela carreira na Marvel e até hoje tem suas aventuras publicadas regularmente. Depois de quase ser cancelado foi catapultado por Frank Miller ao status de primeiro escalão. Logo viriam Brian Michael Bendis e Mark Waid para reforçar esse status. Mas, foi aqui que tudo começou. 

Ao passo que Miller evitou o uniforme amarelo e vermelho em sua reformulação da origem do personagem, dando a ele um "uniforme" mais simplório, já Jeph Loeb e Tim Sale o trouxeram de volta em Demolidor - Amarelo, uma espécie de Ano Um do personagem. Tudo isso com grande maestria. 

Como todo super-herói passou por fases boas e ruins, mas sempre esteve presente, tendo até mesmo ganho um longa metragem e uma série de TV.




terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Infância Apaixonada

AS AVENTURAS DE EUDES: A PRIMEIRA NAMORADA
Um Tempo em Que Tudo Parecia Mais Simples e Descomplicado


Eram os idos de 1979, ou seja lá se vão 40 anos de uma história que está gravada em cada partícula de memória da minha História, sim, com H maiúsculo. Eu, minha irmã e meu irmão estudávamos na Escola São Cosme e São Damião. Ela não era nada perto e, por um tempo, alguém nos levou,  mas isso durou pouco. 

Tentamos pegar carona nos ônibus que por lá passavam, mas a caminhada até o ônibus mais próximo, era tão longa que quase igualava com o caminho para a escola. Sem contar a timidez para pedir carona aos motoristas. Então, desistimos disso. Resolvemos ir a pé mesmo, nós três contra o mundo. 

Eu já estava na terceira série do que era conhecido como Primário. Entrei nesta escola um ano antes, já na segunda série, quando ainda tinha 9 anos. Então, claro, estava com 10 anos, na terceira série e meus irmãos na segunda e primeira respectivamente. Era a época da Loira do Banheiro e ainda se falava muito em Superman - O Filme. 

Acho que essa autonomia que minha mãe nos dava, fez com que nos tornássemos mais maduros, mesmo que muito novos ainda. Talvez por isso, eu tenha me apaixonado tão cedo. Na verdade, minha primeira paixão mesmo foi aos 8 anos de idade. O nome dela era Ivonara. Mas, era aquela paixão de mão única e que eu não sabia realmente o que estava acontecendo ali. Aos 10 anos eu já era praticamente de meia-idade. 

Eu a conheci por intermédio de minha irmã. As duas eram amigas, estudavam na mesma sala, na segunda série. Algumas coisas são difíceis de explicar, por causa da  memória, como por exemplo, como que fui parar dentro da casa dela, e começamos a ver TV, sentado na cama, com o pai dela dormindo atrás de nós, que foi onde tudo começou. quero dizer, nosso namoro. 

Não sei como me descolei de minha irmã e irmão. Afinal, no fim das contas, eu ainda era o mais velho e responsável pelos dois. Acho que o fato de minha irmã também ser muito independente contou a meu favor. os dois devem ter ido pra casa e eu ficado. Ela morava ao lado da escola.  E, de algum modo, fomos pra casa dela. Pensando bem hoje, acho que não era eu quem controlava a situação ali.

Bem, só sei que terminamos ali, sentados à beira da cama, onde o pai dela dormia, um sono tão pesado, que me fazia sentir de certa forma seguro. Acho que ficamos de mãos dadas, enquanto assistíamos sei lá o que na TV. Eu provavelmente olhava pra tela, mas não estava vendo nada. Elisângela - o nome dela - era a mais tranquila das criaturas ali ao meu lado. Seu pai ali, atrás de nós, era um detalhe inócuo, para ela. Apesar da atmosfera de tranquilidade, havia algo que deixava claro o que queríamos: nos beijar. 

Claro que, ao pensar nisso, minha tranquilidade ia embora, pois eu só pensava: "será bem na hora que eu estiver om a minha boca na dela, que o desgraçado vai acordar, e me matar". Ainda assim, eu tinha firme certeza de que iria beijá-la. E, depois de respirar fundo, virei pra ela e a beijei. Não lembro exatamente como foi. Deve ter sido algo que achávamos ser um beijo e na verdade devia ser só suas crianças encostando lábios desajeitadamente. Mesmo assim, foi algo do outro mundo. O pai dela nem se mexeu. 

Fiquei mais um pouco com ela, e quando ela saiu do quarto, fui junto. A beijei na sala. A verdade é que não queria mais parar de beijá-la. Mas, claro, eu tinha que ior pra casa. Para que minha mãe não soubesse, disse que tinha ido à casa de meus avós, que ficava um pouco depois da escola. 

Daí é so fazer aquela montagem de cenas, onde eu namorei Elisângela por algum tempo, sempre ficando por lá, onde ela morava,depois da aulas. Algumas vezes meu irmão e irmã ficando comigo, pois não dava para eles chegarem em casa sozinhos sempre. No fim das contas era um namoro regado a muito pique-esconde e outras brincadeiras de criança. 

Duas cenas eu guardo com muito carinho em minhas lembranças, junto com a do primeiro beijo: certa vez estávamos juntos e ela viu alguém que conhecia um pouco distante e gritou para essa pessoa, apontando pra mim:

- EI, MEU NAMORADO É DA TERCEIRA SÉRIE! 

Outra que parece coisa de sonho, somos nós dois deitados em um gramado, de mãos dadas, olhando um céu muito azul, num daqueles dias perfeitos. Era a síntese de algo simples e puro que estávamos vivendo e que faria parte de nossas lembranças para sempre. Parecia que, naqueles momentos, só existíamos nós dois. E, claro, com o tempo acabou. Pois, era uma pequena parte da longa história de nossas vidas. 

Foi algo natural, como quando amigos perdem o contato. Foi antes mesmo que eu mudasse da escola. Quando, muito tempo depois, pensei em visitá-la, ela já havia se mudado. Foi na mesma época em que a escola foi demolida para dar lugar a construção de casas. Era como perder dois pedaços de mim ao mesmo tempo. Assim como amei - com uima criança pode amar - Elisângela, eu amava a escola, onde fiquei três anos. 

A casa onde ela morou continua no mesmo lugar, 40 anos depois. Até mesmo a rua mudou pouca coisa. Uma padaria que existia na época, está lá até hoje, como se fosse um inseto preso no âmbar do tempo, para o qual se pode olhar e ver o passado. 

Bom, depois dessa referência a Jurassic Park, vou me despedindo, deixando com vocês mais essa parte da minha pré-história. Yaba-daba-duuuu!

NerdTeca: Os Vikings

TRÊS LIVROS SOBRE A CULTURA VIKING
Arquivos enviados por Muad'Dib/HORDA Books



PARA BAIXAR, CLIQUE MEDIAFIRE


FÚRIA NÓRDICA: SAGAS VIKINGS - CARMEN SEGANFREDO/A. S. FRANCHINI 

Mais conhecidos por adaptarem mitologias, Carmen Seganfredo e A. S. Franchini se voltam agora para contar, de forma divertida e bem humorada, as sagas dos vikings. Neste livro, o leitor encontrará transplantado algo do clima feroz e irreverente deste povo pagão, ao mesmo tempo em que se deliciará com as soluções repletas de interpretação criativa e bom humor, encontradas pelos autores para preencher as lacunas históricas e textuais dos relatos originais. 

 A Saga de Erik, o Vermelho, tornou-se célebre por vários motivos: ela conta como Erik descobriu, nomeou e colonizou a Groenlândia. Além disso, conta sobre seu filho Leif, o Sortudo, que acidentalmente encontrou a América, cinco séculos antes de Cristóvão Colombo, tendo sempre por pano de fundo as disputas entre os pagãos vikings e os primeiros católicos nórdicos, os “vira-casacas” do deus Odin. 

Para se ter uma ideia do tipo de fama que esta saga abarca, a banda Led Zeppelin fez uma música dedicada ao filho de Erik, Leif Eriksson, chamada The Immigrant Song, cantada pela perspectiva dos vikings pagãos remando para o oeste da Escandinávia na busca de novas terras. Fúria Nórdica é o livro apropriado a todos aqueles que gostam de unir cultura e diversão, mas que não tem medo da ferocidade barbárica natural afamada do povo nórdico.

DICIONÁRIO DE HISTÓRIA E CULTURA DA ERA VIKING - JOHNNI LANGER (ORG.)

A publicação do Dicionário de História e Cultura da Era Viking apresenta ao leitor de língua portuguesa um guia abrangente para o mundo dos vikings, suas aventuras, viagens marítimas, grandes batalhas, explorações e descobertas. Organizado por uma equipe de especialistas vinculados à instituições nacionais e internacionais, contando ainda com a liderança cuidadosa do Prof. Dr. Johnni Langer (UFPB), a obra possui o mérito de combinar pesquisa rigorosa - e, desse modo, atender ao público especializado - com uma linguagem clara e objetiva, tornando o livro acessível também ao público em geral, bem como àqueles que possuem curiosidades e outros interesses extra-acadêmicos acerca do tema. 

 Complementando e enriquecendo o conteúdo do Dicionário de Mitologia Nórdica - símbolos, mitos e ritos, lançado pela Editora Hedra em 2015 e focado em aspectos relacionados aos mitos e religiosidades, a presente obra oferece ao leitor conhecimentos detalhados sobre as principais personalidades, batalhas, armamentos, aspectos sociais e culturais, bem como os mais relevantes acontecimentos que constituem a História da Era Viking.

DICIONÁRIO DE MITOLOGIA NÓRDICA: SÍMBOLOS, MITOS E RITOS - JOHNNI LANGER (ORG.)

Dicionário de mitologia nórdica - símbolos, mitos e ritos traz em seu próprio título todo seu alcance e toda a sua profundidade: os principais ritos, mitos e símbolos da mitologia nórdica, organizados em verbetes por uma grande equipe de especialistas internacionais. Os deuses nórdicos, com seu rei Odin e seus filhos Thor e Loki, vivem em Asgard... Se, por um lado, as informações contidas nesta frase são muito conhecidas, por outro, elas trazem atrás de si, literalmente, todo um mundo, muito menos conhecido: o mundo da mitologia nórdica. 

E é todo esse mundo mítico que está contido neste dicionário. Nele há claros e detalhados verbetes que vão de "anões" e "anéis" até "zoodíaco viking". Passando por "amuletos mágicos", "animais totêmicos", "arquétipos escandinavos", "bebidas sagradas nórdicas", "Beowulf", "funerais e enterros", "magia rúnica", "machado de Thor", "quadrinhos e mitos nórdicos", "sacrifício escandinavo", "saga dos volsungos", "templo de Uppsala", "Valhalla", "vida após a morte", "xamanismo nórdico"... E muitos outros.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Festival Mix 5

FESTIVAL MIXÓRDIA - PARTE 5
Mulherões, Cães, Reality Shows, Bangue Bangue e etc...




PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI


1957 - Meu Melhor Companheiro (Old Yeller, Robert Stevenson): A história se passa por volta de 1860, no Texas. Um pequeno garoto não quer nada com o cão que ele encontrou, mas "Old Yeller" prova que é um ótimo amigo, protegendo a sua família e salvando a sua vida. Rapidamente, eles se tornam companheiros inseparáveis, dividindo momentos de alegria, experiências e lições de vida sobre como crescer. (DVDRip/AVI/Áudio em português/Sem legendas/83 min./682 MB)

1959 - Minha Noiva é Um Colosso (The 30 Foot Bride of Candy Rock, Sidney Miller): Sucateiro metido a inventor cria uma nova máquina, mas a radiação do aparelho acaba por transformar sua namorada numa mulher gigante e capaz de abalar a cidade. Agora ele terá que achar uma solução para o acidente o mais rápido possível. Filme inspirado nas neuroses do perigo nuclear da Guerra Fria e único filme do comediante Lou Costello sem o companheiro Bud Abbott. (BRRip/MKV/Áudio selecionável em inglês e português/Legenda selecionável em português e inglês/73 min./1.60 GB/Preto e Branco)

1963 - Irma La Douce (Irma La Douce, Billy Wilder): Nester é um policial demitido depois de liderar uma desastrosa batida em um bordel, que atrapalha os esquemas da corporação. Ele se apaixona por uma prostituta, enfrenta seu cafetão e se torna seu protetor, mas tem ciúmes dos outros clientes dela. (BRRip/MKV/Áudio selecionável em inglês e português/Legenda selecionável em português/142 min./3.56 GB)

1966 - Fahrenheit 451 (Fahrenheit 451, François Traffaut): Em um Estado totalitário em um futuro próximo, os "bombeiros" têm como função principal queimar qualquer tipo de material impresso, pois foi convencionado que literatura um propagador da infelicidade. (BRRip/MKV/Áudio selecionável em inglês e português/Legenda selecionável em português/112 min./1.81 GB)

1968 - Em Busca do Ouro Perdido (Corri Uomo Corri/Run Man Run, Sergio Sollima): Cuchillo um ladrão e excelente atirador de facas, é perseguido por uma gangue de bandidos até a fronteira do Texas por saber onde está escondida uma grande fortuna. Fazem parte desta gangue mercenários franceses que trabalham para o Governo Mexicano e Nathaniel Cassidy um pistoleiro americano que apesar de interessado np dinheiro, ainda conserva alguns ideais. Agora Cuchillo terá que enfrentar duas grandes forças, sua namorada Dolores, sua sensual amada e extremamente ciumenta e a gangue de Cassidy. (DVDRip/MKV/Áudio selecionável em inglês, italiano e português/Legenda selecionável em português e inglês/120 min./1.95 GB)

1970 - Pequeno Grande Homem (Little Big Man, Arthur Penn): Homem centenário narra sua vida, desde que foi capturado e criado pelos índios, até se casar com uma índia e vê-la ser morta pelo general Custer. Depois, torna-se batedor do mesmo na batalha de Little Big Horn. (BRRip/MKV/Áudio selecionável em inglês e português/Legenda selecionável em português/139 min./2.44 GB)

1974 - Noite de Sombras, Noite de Sangue (Silent Night, Bloody Night, Theodore Gershuny): Um velho casarão, que por muitos anos serviu como asilo de loucos, tem os acontecimentos relacionados ao seu passado investigado pelo advogado que pretende vendê-lo. Mas um misterioso assassino está disposto a interferir em seus planos. (DVDRip/MKV/Áudio selecionável em inglês e português/Legenda selecionável em português/85 min./1.71 GB)

1976 - Garotos em Ponto de Bala (The Bad New Bears, Michael Ritchie): Ex-jogador de beisebol mais interessado em cervejas do que em jogos se arrisca a treinar um time infantil. As crianças, no entanto, também não parecem muito motivadas e somente um milagre poderia torná-las campeãs da liga. (BRRip/MKV/Áudio selecionável em português e inglês/Legenda selecionável em português/102 min./2.32 GB)

1991 - O Pescador de Ilusões (The Fisher King, Terry Gilliam): Locutor de rádio larga o ofício, traumatizado após ouvinte matar várias pessoas num bar porque seguiu seus conselhos num programa. É quando encontra ex-professor que, com a morte da esposa justamente naquele bar, torna-se um mendigo insano que procura pelo Santo Graal. (BRRip/MKV/Áudio selecionável em inglês e português/Legenda selecionável em português/137 min./2.34 GB)

1997 - Filhos do Paraíso (Bacheha-Ye Aseman/Children of Heaven, Majid Majidi): Ali é um menino de 9 anos proveniente de uma família humilde e que vive com seus pais e sua irmã, Zahra. Um dia ele perde o único par de sapatos da irmã e, tentando evitar a bronca dos pais, passa a dividir seu próprio par de sapatos com ela, com ambos revezando-o. Enquanto isso, Ali treina para obter uma boa colocação em uma corrida que será realizada, pois precisa da quantia dada como prêmio para comprar um novo par de sapatos para a irmã. (BRRip/MKV/Áudio selecionável em iraniano e português/88 min./741 MB)

1998 - O Show de Truman (The Truman Show, Peter Weir): Pacato vendedor de seguros (Jim Carrey) tem sua vida virada de cabeça para baixo quando descobre que é o astro, desde que nasceu, de um show de televisão dedicado a acompanhar todos os passos de sua existência. (BRRip/MKV/Áudio selecionável em português [duas dublagens]/Legenda selecionável em porttuguês/102 min/1.74 GB)


domingo, 27 de janeiro de 2019

Karl Marx

MARX - UMA BIOGRAFIA EM QUADRINHOS
Digitalização e Tratamento: Out, Sider The Comunist/HORDA Inc.

PARA BAIXAR, CLIQUE MEDIAFIRE

Este álbum de Corinne Maier e Anne Simon faz um resumo da vida do de Karl Marx. Claro que não é como estudar profundamente sua vida, então não saia por aí dizendo que sabe tudo sobre o personagem histórico apenas porque leu uma HQ de 65 páginas, nem fazendo vídeos dizendo que ele presenciou a Primeira Guerra Mundial. 

Nascido em 1818, na Renânia, Marx se tornaria mundialmente conhecido, adorado e odiado por milhões de pessoas por, junto com pessoas como Engels, tentar encontrar uma opção para o Capitalismo. 

No álbum temos um vislumbre de sua vida, seu casamento, seus amigos, seus escritos e suas lutas. Mesmo que de modo rápido, podemos ficar sabendo um pouco sobre os passos deste homem que deixaria sua marca no mundo. 

Casou-se e teve 5 filhos, dois dos quais morreram cedo. Ele, a esposa e as três filhas foram morar na Inglaterra e lá ele começou a escrever O Capital, sua mais conhecida obra. 

Marx é uma obra em quadrinhos para quem quer começar a conhecer o homem e sua obra.



sábado, 26 de janeiro de 2019

Pós-Verdade 2 - A Missão

FAKE READERS, AQUELES QUE ACREDITAM 
PIAMENTE NAS FAKE NEWS


Marco Feliciano é o deputado-pastor que ficou instantaneamente conhecido no Brasil inteiro quando foi nomeado, em um acordo com o PT, para o cargo na Secretaria de Direitos Humanos e causou uma grande revolta entre as pessoas, pois o mesmo tinha videos na internet onde, do púlpito, soltava frases racistas e homofóbicas usando a Bíblia. Coisas como, "o negro é amaldiçoado". 

Minha revolta foi tão grande que, pela primeira vez na minha vida, participei em uma manifestação, uma passeata, contra a decisão. Enquanto isso, na internet, o assunto durou semanas. Apareciam mais vídeos, como aquele em que, em uma reunião da igreja, ele pede o cartão e a senha de um dos participantes, e por aí vai. 

Logo começaram a aparecer citações cada vez mais absurdas, e eu já ia compartilhá-las, quando achei melhor fazer algo antes:pesquisar. Fiz isso pois achei que, até para ele, algumas das frases poderiam se mostrar muito além da conta. Creio que ele poderia até pensar em algumas delas, mas jamais diria. As frases eram todas numa diagramação idêntica, ou seja, todas eram feitas pela mesma pessoa, ou grupo de pessoas. Não encontrei menção a elas em nenhum outro lugar. Então desisti de compartilhar e avisei a algumas pessoas que compartilharam que, provavelmente ele não teria dito aquilo. 

Meu primeiro instinto foi o de compartilhar, pois eu QUERIA acreditar naquilo. Eu quase deixei o bom senso de lado e compartilhei, pois, aquele diabinho no ombro dizia, "ele merece isso, mesmo se não for verdade". Mas, eu não conseguia. Seria como jogar lixo no chão, ou pegar algo que não é meu. Me incomodaria depois. 

Mas, óbvio que eu não sou perfeito e já compartilhei coisas assim, as tais fake news,justamente porque esse bom senso falhou. Mas, quando avisado por alguém que sabia que não era verdade, eu procurava apagar logo. Até mesmo acontecia de a notícia ser real - pois estava em algum veículo oficial da mídia - porém, a data era muito anterior, fazendo a notícia ser uma mentira para o caso em questão. Essas deviam ser chamadas de Before News. 

O fato é que, quando eu compartilho a fake news sem questionar, sem duvidar, sem pesquisar, e mesmo vendo que, quando é apenas uma nota, sem nenhuma fonte, isso significa que eu sou um Fake Reader. Eu não estou me importando com a verdade, eu apenas quero acreditar que seja verdade para mim. 

Quando a vereadora do PSOL, Marielle Franco foi morta, não bastou apenas várias pessoas, que eram contra o que ela representava, se alegrarem com a morte dela, isso foi apenas o começo. Muitas dessas mesmas pessoas, passaram a confeccionar várias fake news. Não bastava apenas tripudiar a morte da política, queriam também manchar sua reputação, mesmo depois de morta, como se a morte já não tivesse sido uma "punição" suficiente. Alguma dessas fake news se mostraram verdadeira? Não, claro que não. Mas, a fake news, para o fake reader, cumpre sua missão: ela faz com que ele acredite, sendo verdade ou não. Aliás, a verdade é o que menos importa para o fake reader. 

Essa modalidade de pessoa só existe quando a doença da idolatria por um político ou por uma ideologia (ou os dois, na verdade), já está instalada com sucesso. A fake news ela cumpre seu papel exatamente como um boato maldoso, das épocas que não existia a internet. Depois de aventado, mesmo que se prove a inocência da pessoa, sua vida nunca mais será a mesma. 

A fake news visa os fake readers e não pessoas que vão parar pra pensar, que vão usar o cérebro intrincado que elas têm. Pensar cansa. Porisso as fake news são tão eficientes, pois mesmo que sites como o e-Farsas ou mesmo jornais mostrem a verdade, desmantelando a Fake News, quem se importa? As pessoas que acreditam em fake news querem continuar acreditando, e qualquer tentativa de provar que aquilo é mentira, só fará com que o veículo que tentar mostrar a verdade seja taxado de esquerdista, comunista, marxista, e que está de coluio com aquele caso. 

O Fake Reader é como aquele corno, que quando recebe a notícia, por meio de um amigo, de que está sendo traído, e se mostra a ele fotos, áudios, vídeos como provas, ele fica puto... e bate no amigo. O Fake Reader é um corno político que gosta de levar chifre e ainda fica feliz com isso. 

O Fake Reader aceitará qualquer mentira como sendo a verdade, E QUALQUER verdade que atinja aquele que ele idolatra - ou seus parentes - ele dirá, em alto e bom som, que aquilo é fake news, mesmo que seja o próprio Deus quem desça e diga isso a ele, pois Deus pode muito bem ser um comunista.

Tudo isso seria apenas levemente engraçado, se não estivesse afetando o país onde preciso morar e viver. Com a conivência de milhões de brasileiros, vejo a deterioração de uma nação que já vem sendo castigada há tempos. Discursos demagógicos não fazem um país melhor, nem promessas vazias. Muito menos tirar direitos da população em detrimento dos grandes empresários. Isso não é governar, isso é comercializar a vida humana.  

A grande tragédia nisso tudo, é ver pessoas dominadas por essa doença da idolatria a políticos brigarem por ele, defendê-lo, com unhas e dentes, sem nenhum interesse real pelo país, apenas por uma bizarra paixão que não tem lugar no mundo real, venha ela da direita ou da esquerda. Uma pessoa com problemas mentais desse tipo, talvez precise de uma terapia de choque. Mas, sabe qual é o problema nessa terapia? É que o choque que a fará acordar, vai ferir a todos nós. 

Sejam True Readers, pessoal. 

Demolidor - O Homem Sem Medo

DEMOLIDOR: O HOMEM SEM MEDO - MILLER/ROMITA, JR.
Digitalização e Tratamento (Scans 2.0): 
Out, The Sider Eudes/HORDA Inc.

PARA BAIXAR, CLIQUE EM MEGA ou MEDIAFIRE

Frank Miller foi quem, na década de 80, deum um novo fôlego ao personagem Demolidor. Ao mesmo tempo que transformou as aventuras do heróis cego em referência, o autor também se tornou um nome a ser requisitado, tanto que logop estaria a frente de clássicos como Batman - Cavaleiro das Trevas e Batman Ano Um.

Além disso, voltaria ao Demolidor mais uma vez, em 1986, para cravar mais um clássico em seu currículo: A Queda de Murdock, ao lado de David Mazzuchelli, com quem tinha trabalhado em Batman - Ano Um. Poderia ser o fim dessa parceria, que já estava mais do que firmada. 

Porém, se o autor havia reformulado a origem de Batman, porque não fazer o mesmo com o heróis que lhe deu o status de mito dos quadrinhos. Frank Miller resolveu recontar, em 1994, a origem do Homem Sem Medo em uma minissérie de cinco edições, com as ilustrações de John Romita, Jr. e a arte-final de Al Williamson. 

Seria um apanhado de tudo que Miller inseriu durante sua primeira passagem pelo título: Elektra, Stick, e toda a aura violenta e urbana que o personagem ganhou. E, novamente, nascia um clássico que ficaria para sempre na memória dos leitores. A origem definitiva.




sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Festival Nacional - Vol. Dois

FESTIVAL NACIONAL - VOLUME DOIS
Discos, Costinha, Xuxa, Glória Pires, Baiacus...




PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI


1972 - Independência ou Morte (Nacional, Carlos Coimbra): O sonho da independência do Brasil, através de Dom Pedro I, é expresso em um grito: Independência ou Morte; uma vez que os gritos eram a única maneira de reunir apoio contra a opressão colonial. Dom Pedro I lidera a independência do Brasil de Portugal. (HDTVRip/MKV/Áudio em português/Sem legendas/108 min./1.96 GB)

1973 - O Libertino (Nacional, Victor Lima): Comendador Emanuel e Alceu dedicam suas vidas à defesa dos bons costumes e combate à pornografia. Diante de delicada situação financeira, o comendador aluga sua mansão para um colégio de moças e tem uma surpresa ao descobrir que, na realidade, o tal colégio é uma casa de encontros suspeitos. (TVRip/AVI/Áudio em português/Sem legendas/69 min./508 MB)

1982 - Amor Estranho Amor (Nacional, Walter Hugo Khouri): Hugo, um homem de meia idade, guarda na memória a infância realmente singular. Em 1937, ainda um garoto, sai de Santa Catarina com a avó e desembarca em São Paulo, onde é deixado em frente a um bordel de luxo. Ali mora e trabalha Anna, sua mãe, uma prostituta e amante do Dr. Osmar Passos, um poderoso político paulista. (DVDRip(?)/MKV/Áudio selecionável em português e inglês/Legendas selecionáveis em português, inglês, esanhol e romeno/120 min./1.38 GB)

1982 - Índia, a Filha do Sol (Nacional, Fábio Barreto): Em Goiás um cabo do Exército (Nuno Leal Maia) é encarregado de resolver determinadas irregularidades em um garimpo. Lá uma índia da região (Glória Pires) se apaixona por ele. No entanto, um trágico destino a aguarda, pois o cabo pretende ficar com várias pedras preciosas só para si. (HDTVRip/MKV/Áudio em português/Sem legendas/84 min./2.45 GB)

1984 - Memórias do Cárcere (Nacional, Nelson Pereira dos Santos): Nos anos 1930, o escritor Graciliano Ramos, acusado de colaborar com subversivos, é tirado de Alagoas e levado ao presídio de Ilha Grande, no Rio, onde convive com os mais diversos personagens da marginalizada população brasileira, de ladrões de galinhas a homossexuais e assaltantes. Baseado em relato autobiográfico. (HDTVRip/MKV/Áudio em português/Sem legendas/189 min./3.11 GB)

1985 - A Estrela Nua (Nacional, Ícaro Martins/José Antônio Garcia): Uma atriz de cinema obtém sua primeira chance ao ser convidada para dublar uma outra que se suicidara, mas sua personalidade passa a confundir- se com a da morta, num jogo de troca de identidade. Os bastidores do cinema pondo em paralelo uma atriz em declínio e uma dubladora que almeja o estrelato, também numa relação de amor e misticismo do artista com seu trabalho, num processo em que os limites da individualidade vão sendo gradualmente destruídos. (DVDRip/Avi/Áudio em português/Sem legendas/83 min./748 MB)

1988 - Dedé Mamata (Nacional, Rodolfo Brandão): André (Guilherme Fontes) passa da infância à adolescência, do fim dos anos 60 até o final dos 70. Morando com os avós, numa família de comunistas e anarquistas, sobrevive às escondidas durante a ditadura militar. Estabelece forte amizade com Alpino (Marcos Palmeira), um rapaz viciado em drogas e Lena (Malu Mader), uma menina que deixa a família para viver com eles no mesmo apartamento. A morte dos avós abrirá as perspectivas de liberdade e amadurecimento para Dedé Mamata. (DVDRip/AVI/Áudio em português/Sem legendas/97 min./998 MB)

2002 - Durval Discos (Nacional, Anna Muylaert): Durval - dono de uma loja que vende apenas discos em vinil, no bairro de Pinheiros, em São Paulo - e sua mãe Carmita vivem um cotidiano sem emoções ou horizontes. Tudo acontece em 1995, ano em que a indústria fonográfica brasileira deixou de fabricar discos de vinil. E assim como o vinil, o dia-a-dia em torno da loja de discos mostra que a vida tem sempre o lado A e o lado B. (BRRip/MKV/Áudio em português/Sem legendas/93 min./1.31 GB)

2003 - Carandiru (Nacional, Hector Babenco): Um médico (Luiz Carlos Vasconcelos) se oferece para realizar um trabalho de prevenção a AIDS no maior presídio da América Latina, o Carandiru. Lá ele convive com a realidade atrás das grades, que inclui violência, superlotação das celas e instalações precárias. Porém, apesar de todos os problemas, o médico logo percebe que os prisioneiros não são figuras demoníacas, existindo dentro da prisão solidariedade, organização e uma grande vontade de viver. (HDTVRip/MKV/Áudio em português/Sem legendas/145 min./2.70 GB)

2007 - Saneamento Básico, O Filme (Nacional, Jorge Furtado): Moradores batalham para conseguir tratamento de esgoto na pequena vila onde vivem, e descobrem que não há verbas para solucionar o problema. É quando resolvem fazer um filme para angariar fundos. (DVDRip/AVI/Áudio em português/Sem legendas/112 min./700 MB)

2009 - Morgue Story - Sangue, Baiacu e Quadrinhos (Nacional, Paulo Biscaia Filho): Ana Argento, uma bem-sucedida cartunista, está frustrada com sua vida amorosa. Ela conhece, então, dois sujeitos bastante peculiares: Daniel Torres, um médico sociopata e estuprador em série, e Tom, um cataléptico crônico que ironicamente vende seguros de vida. O encontro ocorre no local mais propício: o necrotério. (DVDRip/AVI/Áudio em português/Sem legendas/77 min./1.36 GB)


Brasil Paralelo

O QUE ACONTECERIA SE... FOSSE O LULA?


Eu sou o Bisbilhoteiro, primo em terceiro grau do Vigia. Eu fico em minha janela aqui no lado escuro da Lua, espiando tudo que acontece na Terra e em suas cópias de universos paralelos, pois perdi a senha que consegui emprestada da Netflix. 

Tenho dado especial atenção ao país chamado Terra de Vera Cr..  ah, não, agora já é Brasil. Achoque perdi alguns episódios. Pois bem, nesta terra em que tudo dá e muitos tomam, a política é um muito interessante e me rouba (entendeu? Entendeu?) bastante tempo. 

Recentemente as eleições elegeram Jair Bolsonaro, que éum político muito defendido por seus eleitores, assim como o eram os anteriores Dilma e Lula por outros tantos eleitores. Na verdade, os dois grupos são muito parecidos, tipo góticos e emos, se é que me entendem. 

Os erros de Bolsonaro são crassos, mas vistos como nada demais pelos denominados "bolsominions". Os filhos do mesmo parecem estar governando junto com o presidente, mas só parecem trazer mais problemas. Mesmo assim, parece estar tudo indo às mil maravilhas, para os reta... eleitores deles. Porém, vamos ver o que acontece na Terra L. 

Lula, El Moluscón, foi solto poucos dias antes das eleições por uma turba de fãs de Pablo Vittar, candidato a vice. Solto, o petista, que já concorria mesmo estando preso, venceu as eleições de lavada, e Bolsonaro ficou atrás da Marina. 

Mesmo antes de assumir já começaram os problemas. Foi descoberto esquema de Lula, envolvendo Caixa 2 para disparar fake news durante toda a campanha, contra Bolsonaro, imputando mentiras como a mamadeira de piroca e que o candidato apoiaria o fim da aposentadoria para filhas de militares. Os petrlhas, no entanto, disseram, que era tudo mentira e se manifestaram na internet como a hastagh #souCaixa2deLula. Foi vergonhoso. 

Logo tivemos denúncias de que o motorista do filho de Lula estaria envolvido em um esquema de lavagem de dinheiro, sendo que um cheque de 24 mil reais foram depositado na conta de Dona Marisa. Lula disse que era porque não tinha tempo de ir ao banco, mas não explicou o fato de que sua esposa não já estava falecida. Petralhas disseram que isto era um mero detalhe. 

Tivemos também a nomeação de vários ministros,sendo que noive deles indiciados por corrupção ou outro delito tão grave quanto. Lula diz que isso não importa, e que a luta contra o fascismo é que deve ser o foco da nação. Quando perguntado sobre a confissão de recebimento de propina seu ministro Rovex Coronetti, ele disse que o mesmo pedira desculpas, e que não faria mais isso. Menino mau, ai, ai, ai. O ministro da Justiça, José Dirceu, disse que as desculpas já bastam. 

As coisas foram ficando mais complicadas quando o outro filho de Lula estava envolvido com grupos terroristas cubanos, tendo indicado vários deles para o Programa Mais Médicos e homenageado ao menos dois, que já eram procurados pelo FBI. Para piorar, o mesmo filho de Lula empregara a mãe e a esposa desses dois terroristas, que eram suspeitos de  envolvimento na facada que Bolsonaro sofreu em setembro. O filho de Lula disse que não pode fazer nada sobre seus funcionários serem esposas ou mães de terroristas, isso é liberdade de expressão. 

A coisa só piora para Lula, pois em seu Twitter, na época da faca, escreveu sobre o acontecimento: "Grande dia", o que deixou a direita indignada com a insensibilidade do, então, candidato-presidiário. "Esses esquerdistas são insensíveis e cruéis", diziam os bolsonaristas. 

Para fechar com chave de ouro, Lula foi a Devos e discursou apenas 6 minutos, o que não deixou seus opositores surpresos, muitos deles disparando nas redes sociais: "o que esperar de um semi-analfabeto, de língua presa, que fala 'pobrema'". Depois do discurso, Lula se esquivou da imprensa internacional, para não quer falar sobre o problema do filho com terroristas cubanos, que se passam por médicos. 

Isso tudo em 25 dias de governo. Imagine a dor de cabeça ver tudo isso, ainda mais tendo esta cabeça que herdei da família. Eu sou o Bisbilhoteiro e nada passa sem que eu veja, comente, fale pra todo mundo, mas não posso interferir nos acontecimentos. Até porque,quem vai querer meter a mão nesse vespeiro. 


Business

category2