sábado, 26 de janeiro de 2019

Pós-Verdade 2 - A Missão

FAKE READERS, AQUELES QUE ACREDITAM 
PIAMENTE NAS FAKE NEWS


Marco Feliciano é o deputado-pastor que ficou instantaneamente conhecido no Brasil inteiro quando foi nomeado, em um acordo com o PT, para o cargo na Secretaria de Direitos Humanos e causou uma grande revolta entre as pessoas, pois o mesmo tinha videos na internet onde, do púlpito, soltava frases racistas e homofóbicas usando a Bíblia. Coisas como, "o negro é amaldiçoado". 

Minha revolta foi tão grande que, pela primeira vez na minha vida, participei em uma manifestação, uma passeata, contra a decisão. Enquanto isso, na internet, o assunto durou semanas. Apareciam mais vídeos, como aquele em que, em uma reunião da igreja, ele pede o cartão e a senha de um dos participantes, e por aí vai. 

Logo começaram a aparecer citações cada vez mais absurdas, e eu já ia compartilhá-las, quando achei melhor fazer algo antes:pesquisar. Fiz isso pois achei que, até para ele, algumas das frases poderiam se mostrar muito além da conta. Creio que ele poderia até pensar em algumas delas, mas jamais diria. As frases eram todas numa diagramação idêntica, ou seja, todas eram feitas pela mesma pessoa, ou grupo de pessoas. Não encontrei menção a elas em nenhum outro lugar. Então desisti de compartilhar e avisei a algumas pessoas que compartilharam que, provavelmente ele não teria dito aquilo. 

Meu primeiro instinto foi o de compartilhar, pois eu QUERIA acreditar naquilo. Eu quase deixei o bom senso de lado e compartilhei, pois, aquele diabinho no ombro dizia, "ele merece isso, mesmo se não for verdade". Mas, eu não conseguia. Seria como jogar lixo no chão, ou pegar algo que não é meu. Me incomodaria depois. 

Mas, óbvio que eu não sou perfeito e já compartilhei coisas assim, as tais fake news,justamente porque esse bom senso falhou. Mas, quando avisado por alguém que sabia que não era verdade, eu procurava apagar logo. Até mesmo acontecia de a notícia ser real - pois estava em algum veículo oficial da mídia - porém, a data era muito anterior, fazendo a notícia ser uma mentira para o caso em questão. Essas deviam ser chamadas de Before News. 

O fato é que, quando eu compartilho a fake news sem questionar, sem duvidar, sem pesquisar, e mesmo vendo que, quando é apenas uma nota, sem nenhuma fonte, isso significa que eu sou um Fake Reader. Eu não estou me importando com a verdade, eu apenas quero acreditar que seja verdade para mim. 

Quando a vereadora do PSOL, Marielle Franco foi morta, não bastou apenas várias pessoas, que eram contra o que ela representava, se alegrarem com a morte dela, isso foi apenas o começo. Muitas dessas mesmas pessoas, passaram a confeccionar várias fake news. Não bastava apenas tripudiar a morte da política, queriam também manchar sua reputação, mesmo depois de morta, como se a morte já não tivesse sido uma "punição" suficiente. Alguma dessas fake news se mostraram verdadeira? Não, claro que não. Mas, a fake news, para o fake reader, cumpre sua missão: ela faz com que ele acredite, sendo verdade ou não. Aliás, a verdade é o que menos importa para o fake reader. 

Essa modalidade de pessoa só existe quando a doença da idolatria por um político ou por uma ideologia (ou os dois, na verdade), já está instalada com sucesso. A fake news ela cumpre seu papel exatamente como um boato maldoso, das épocas que não existia a internet. Depois de aventado, mesmo que se prove a inocência da pessoa, sua vida nunca mais será a mesma. 

A fake news visa os fake readers e não pessoas que vão parar pra pensar, que vão usar o cérebro intrincado que elas têm. Pensar cansa. Porisso as fake news são tão eficientes, pois mesmo que sites como o e-Farsas ou mesmo jornais mostrem a verdade, desmantelando a Fake News, quem se importa? As pessoas que acreditam em fake news querem continuar acreditando, e qualquer tentativa de provar que aquilo é mentira, só fará com que o veículo que tentar mostrar a verdade seja taxado de esquerdista, comunista, marxista, e que está de coluio com aquele caso. 

O Fake Reader é como aquele corno, que quando recebe a notícia, por meio de um amigo, de que está sendo traído, e se mostra a ele fotos, áudios, vídeos como provas, ele fica puto... e bate no amigo. O Fake Reader é um corno político que gosta de levar chifre e ainda fica feliz com isso. 

O Fake Reader aceitará qualquer mentira como sendo a verdade, E QUALQUER verdade que atinja aquele que ele idolatra - ou seus parentes - ele dirá, em alto e bom som, que aquilo é fake news, mesmo que seja o próprio Deus quem desça e diga isso a ele, pois Deus pode muito bem ser um comunista.

Tudo isso seria apenas levemente engraçado, se não estivesse afetando o país onde preciso morar e viver. Com a conivência de milhões de brasileiros, vejo a deterioração de uma nação que já vem sendo castigada há tempos. Discursos demagógicos não fazem um país melhor, nem promessas vazias. Muito menos tirar direitos da população em detrimento dos grandes empresários. Isso não é governar, isso é comercializar a vida humana.  

A grande tragédia nisso tudo, é ver pessoas dominadas por essa doença da idolatria a políticos brigarem por ele, defendê-lo, com unhas e dentes, sem nenhum interesse real pelo país, apenas por uma bizarra paixão que não tem lugar no mundo real, venha ela da direita ou da esquerda. Uma pessoa com problemas mentais desse tipo, talvez precise de uma terapia de choque. Mas, sabe qual é o problema nessa terapia? É que o choque que a fará acordar, vai ferir a todos nós. 

Sejam True Readers, pessoal. 

9 comentários:

Nano Falcão disse...

A pior coisa é o assassinato de reputação feito pelas fakenews - e os fakereaders. Você imagina a pessoa não poder frequentar ambientes públicos, porque é tão difamada por fakenews que será xingada, e até mesmo AMEAÇADA, e possivelmente agredida.

Já há casos registrados - basta usar o google - de até linchamentos que foram consequências de boatos na internet.

Mas essas pessoas não se importam. Elas ironicamente se dizem "cidadãos de bem". Dizem ter compromisso com a lei, a ordem, a moral, os bons costumes. Mas nunca com a verdade.

Unknown disse...

Meus amigos costumam me xingar porque ouso perguntar se eles sabem a fonte de tal notícia. Se sabem se fulano realmente matou, espancou aquela mulher. Se esse ou aquele cara realmente roubou, pois postam uma foto de um cara com rosto de "mal" e pronto. Vamos compartilhar para chegar às autoridades....

Anônimo disse...

É a evolução da fofoca e da caça às bruxas. Tudo no conforto de casa. O pessoal não sabe ser calmo, quer sempre ser superior aos outros e acabam distribuindo ódio por aí.

Amilcar Rodrigues disse...

Esses fenômenos se repetem de tempos em tempos na História da humanidade. Hoje recebem o nome de Fake News mas já receberam outras denominações como histeria coletiva, caça as bruxas, macartismo sempre usado por um grupo para justificar a perseguição a outro. O ruim é que somente muito tempo depois é que as pessoas percebem (se não morrerem antes acreditando) e aí já é tarde demais.

Anônimo disse...

Eu ia comentar mas o Amilcar falou tudo.

Este ciclo de ignorância e iluminismo, infelizmente, faz parte da história.

Luciano Costa disse...

Hj sou o chato dos grupos de whatsapp, sempre que postam uma fake news eu vou lá e posto um link de um reportagem, geralmente do e-farsas, desmentindo hahahahaha

Duke disse...

A solução é simples: pena de morte aos fake readers. Sério. Isso não pode mais ser tolerado e é um risco a humanidade. Temos que pensar seriamente em eliminar as pessoas que não são capazes de discernir a verdade. Já tem gente demais no mundo mesmo...

Duke disse...

Tu criou um termo novo Eudes... registra isso. Fake Reader.

Eudes Honorato disse...

"Tu criou um termo novo Eudes... registra isso. Fake Reader"

hahahaheuabue não, não. Eu vi esse termo e a definição dele foi o que me inspirou a escrever o ost.

Business

category2