terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Um Comentário Analítico

O POMBO EXTREMISTA CHUTANDO AS PEÇAS DE XADREZ


Primeiro post do ano do jeito que o povo gosta, do jeito que o povo quer. Atendendo a milhares de pedidos que entopem meu e-mail, aqui estamos mais uma vez, agora em 2019, para continuar conversando sobre o tema mais amado deste blog, nos últimos tempos: política. Ou, pelo menos, assuntos co-relacionados. 

Por quê é tão difícil o debate com extremistas e militantes? Acho que, em primeiro lugar, porque o extremista não se acha extremista. Ele e vê como uma pessoa sensata que usa argumentos válidos e que, na verdade, os extremistas somos nós. Ele chega até mesmo a dizer isso em seus argumentos sensatos. É mais ou menos como o racista, machista e homofóbico que não se vêem como nada disso e, sim, como pessoas com "liberdade de expressão", liberdade essa tolhida por nós... extremistas. 

Mas, o problema, este post só nasceu porque li um comentário ontem ,deixado no "Corrupto de Estimação', que diz muito mais do que eu conseguiria sobre este assunto. Sabe, quando uma pessoa diz tudo que você queria dizer de forma muito melhor? É esse o caso. A pessoa se identifica apenas como Anônimo.

O COMENTÁRIO: 


"A maior parte dos eleitores do Bolsonaro ou do PT não estão preocupados com a corrupção como imaginamos. Esse tema, no ideário deles, pode ser usado como ferramenta de retórica, mas não é o que define a adesão ou não adesão a esses políticos. 

Quando ocorre essa dissonância cognitiva, de ter dois pensamentos antagonistas e conflitantes incomodando dentro cabeça ( político contra corrupção que tem fortes evidências de ser corrupto ), eles acabam eliminando o pensamento que causa desconforto à sua visão de mundo, e não eliminando o pensamento que tem mais evidências de estar errado ou de ser fraudulento. 

Por exemplo, não importam quantas  provas da família Bolsonaro gerenciar um sistema de funcionários estatais fantasmas ou laranjas que repassam o salário para a familia Bolsonaro hajam, o apoiador mais fanatizado simplesmente descarta isso mentalmente, como se fosse uma mentira ou que, mesmo que isso seja verdade, não tenha importância 

O mais estranho é que mesmo indivíduos que conseguem usar relativamente bem o raciocínio crítico para analisar outros temas, aos nossos olhos parecem simplesmente incapazes de usar essa mesma ferramenta para avaliar o seu político A explicação disso é simples, para esse tipo de indivíduo acima de qualquer preocupação com ética, existe a necessidade ferrenha de proteger sua própria visão de mundo, para eles é muito desconfortante quando essa visão de mundo é desafiada por fatos.

O motivo disso é que geralmente esse tipo de indivíduo confunde a sua visão de mundo com a sua própria identidade pessoal, então um ataque a algo que represente isso muitas vezes é considerado algo profundamente pessoal, uma verdadeira ameaça a tudo que ele entende de mundo e que em alguns casos,se tornou um amálgama com sua personalidade. Não é difícil de imaginar o tamanho do desconforto mental que isso pode produzir.  

Outro problema é quando essa suposta visão de mundo foi formada baseada em fatos falsos, mentiras, etc. Quanto mais fervoroso for o indivíduo mais difícil fica o diálogo pois parece que você está conversando com um demente. Não existe argumento factível que possa convencer alguém assim. Lembrem-se que, mesmo debatedores experimentados como Sagan ou Hitchens, não debatiam com esse tipo de indivíduo, pois não é produtivo é perda de tempo."


7 comentários:

Adilson Oliveira de Moraes disse...

Muito bom! É por isso que acho essa discussão uma perda de tempo pois não vai mudar em nada a mente desses cidadãos.

O texto resume muito bem o que acontece tanto de um lado quanto do outro.

Um feliz 2019, com muita discussão, scans e pensar!

Anônimo disse...

Os palhaços mudam mas o circo continua o mesmo.
O mundo nunca vai melhorar.

Unknown disse...

Excelente texto. Além de verdadeiros fanatismo extremista, não entendem nada de política nem do sistema político brasileiro.

Anônimo disse...

O extremista só enxerga extremismo. Não há meio termo. Eles precisam agir assim, caso contrário, a vida deles perde o sentido. É mais ou menos assim: "o fundamentalista cristão que ataca o fundamentalista islâmico - e vice-versa".
Ambos, não enxergam o próprio fundamentalismo como o problema, mas apenas o fundamentalismo/extremismo/autoritarismo/fanatismo do "outro".

Parce como a tirinha do André Dhamer (https://twitter.com/malvados/status/603901208328335360)

Rubens Harryhausen disse...

Por acaso eu tinha comentado justamente esse post! Isso de conviver com dois pensamentos antagonistas e conflitantes dentro da cabeça lembra muito o duplipensar de 1984, o romance distópico do Orwell.

Será que já estamos numa distopia e não percebemos?

Fábio RT disse...

Oi Rubens..eu acho que o pessoal que bolou a estratégia de notícias falsas e a tal da pós-verdade para enganar e confundir as pessoas se baseou nesse livro sim...é muito parecido

Rony disse...


Ontem que fui ver quem é esse Olavo de Carvalho que foi citado aqui neste

blogger e confesso que concordei em quase todas suas opiniões que cheguei

a escutar, só não apoiei quando falou do atual Papa, que não está altura

do cargo ...no mais ainda aguardando os acontecimentos...

Rony

Business

category2